Quarta, 21 de agosto de 2019
Brasil

03/05/2019 às 14h57 - atualizada em 03/05/2019 às 15h03

290

Mikaela Patricia Gomes

Brasilia / DF

Arte urbana de Brasília é tema de exposição no Sesc
Mostra começa nesta quinta e vai até o final de maio. Entrada é de graça.
Arte urbana de Brasília é tema de exposição no Sesc

Brasília recebe, a partir desta quinta-feira (2), a 1ª Mostra Sesc de Arte Urbana Brasiliense. A exposição, que segue até 31 de maio, ocorre no foyer do teatro Sesc Silvio Barbato, no Setor Comercial Sul, com entrada gratuita (veja detalhes abaixo).


No espaço, foram reunidas intervenções feitas nas ruas do Distrito Federal pelos artistas Camilla Siren, Carli Ayô, Daniel Toys e Mikael Guedess "Omik". A programação inclui uma roda de conversa com o grupo no dia 9 de maio, às 19h.


A ideia da mostra é divulgar o trabalho dos artistas da nova geração do grafite no DF, além de abordar a democratização cultural, o processo criativo e a presença das mulheres na arte urbana.


Segundo Aryane Sánchez, técnica de cultura do Sesc, "os quatro artistas vêm dialogando com diferentes linguagens visuais, como o design e o bordado, e desenvolvendo carreiras artísticas sustentáveis para além dos muros".


“A cidade conta com vários artistas donos de uma linguagem madura e consolidada, com obras que merecem ser apreciadas num espaço de reflexão."


Os artistas


Camilla Siren 


Camilla Santos, mais conhecida como Siren, é artista plástica e designer. Ingressou na arte urbana paralelamente com a ilustração digital em meados de 2013, e tem a mescla destes dois mundos como sua identidade visual.


Brasiliense, suas referências artísticas vem de dentro e de fora do “quadradinho”, com traços únicos, seja na rua, em suas ilustrações, na xilogravura ou no bordado.


Carli Ayô


Artista plástica mineira, Arte Educadora, grafiteira e Agente Cultural de São Sebastião-DF, formou-se na UnB em Artes Visuais e Desenho Industrial.


Em 2007, começou a ganhar também os muros, por meio do graffiti, com temáticas voltadas para a representação de corpos desproporcionais e expressivos. Ayô opta por representar as populações das periferias, as mulheres e as cidades com um traço afro-indígena muito particular.


Nos últimos dois anos, seu trabalho chegou às paredes do Espaço Cultural Renato Russo, do Centro de Dança de Brasília, do Parque da Cidade e tem obras espalhadas pelas diferentes regiões de Brasília.


Daniel Toys


Nascido em Brasília, Toys é artista visual, ilustrador e designer autoditada. Versátil em suas criações, sua arte está exposta nas principais cidades do Brasil e da América do Sul.


Toys é reconhecido pelas formas utilizadas, tipografia própria, traços retos e cores vibrantes. É um dos grandes nomes da arte urbana que Brasília exporta para o mundo.


Devido à repercussão nacional da fachada feita por ele para a Casa Cor Brasília 2015 e por todas as contribuições artísticas nas ruas da cidade, em 2016 recebeu o convite para conduzir a Tocha Olímpica em sua passagem por Brasília.


Mikael Guedes "Omik"


Artista brasiliense, um sujeito simples e composto que iniciou o interesse por arte aos 6 anos de idade.


Atuante na área urbana através do graffiti há cinco anos, seu trabalho apresenta estampas, mulheres, expressões, animais e cores quentes predominantes em seus cartoons, anatomias, distorções e olhares pessoais.


É insaciável por conhecimento e constantemente agrega a seu trabalho novas práticas, novas teorias, novas linguagens e filosofias.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
Mais lidas
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados