Quarta, 21 de agosto de 2019
Geral

06/03/2018 às 12h04 - atualizada em 09/04/2019 às 12h04

251

Mikaela Patricia Gomes

Brasilia / DF

Empresa suspeita de golpe com Bitcoin emite nota a investidores
Circula em grupos do aplicativo de troca de mensagens WhatsApp, uma nota de esclarecimentos atribuída à empresa STM Operações e Investimentos. A companhia ganhou o noticiário policial nas últimas semanas, após ser apontada como líder de um esquema criminoso, com a criptomoeda Bitcoin.
Empresa suspeita de golpe com Bitcoin emite nota a investidores

Redigida em três páginas, a nota traz uma série de erros gramaticais e ortográficos. Apesar de escrita em primeira pessoa, e de citar Saulo Roque – que se apresentava como dono da empresa- como autor, o documento não tem data, e, o papel em que foi elaborado, não faz nenhuma referência à empresa.


O texto começa com pedido de desculpas aos investidores, a quem o autor credita o sucesso da empresa. “A STM veio do povo, a STM é do povo, o povo a criou, o povo fez com que ela crescesse”, diz o primeiro parágrafo. O caso alcançou repercussão nacional há alguns dias, o que tem gerado represálias, segundo o redator.


“As ameaças de morte a minha pessoa e a minha família também, então por esse motivo tive que tomar a decisão de me resguardar”, diz um trecho. Ainda de acordo com a nota, Saulo teria “se afastado de redes sociais, pessoas e até familiares”, o que teria gerado o boato de que ele estivesse fugindo, o que desmentiu.


De fato, na página da empresa no Facebook, a última atualização é do dia 25 de janeiro de 2018, que traz um comunicado em que informam o encerramento dos atendimentos presenciais, que estaria disponível “apenas através do chat online”. No entanto, não é possível acessar o endereço disponibilizado para o chat.


De acordo com o texto, a derrocada da empresa começou a partir de outubro de 2017. A companhia teria crescido 4.000%, ocasião em que se tentou expandir os negócios para atender os novos investidores, “quando os bancos começaram a fechar portas para empresas e grandes investidores de bitcoin”, explica.


“Confesso que faltou uma boa administração, e bom profissionalismo da parte de colaboradores”, continua a nota, que cita que a empresa, no auge., registrou fluxo de pagamento de R$ 7 milhões. Neste trecho, o editor da nota cita que muitos se aproveitaram “com desvios de grandes valores da empresa”, que enfrenta hoje 30 processos judiciais.


Segundo o comunicado, as contas pessoais de Saulo Roque e da STM estão com ordem de bloqueio de valores, o que dificulta o cumprimento de prazos. Mas, mesmo com o cenário descrito, a nota diz que o empresário se pronunciará em breve, em rede nacional, para “desmentir aqueles que desacreditam”.


O website da empresa foi bloqueado na última semana. Um link encaminha para uma página de fundo negro com distintivo da Polícia Federal, com aviso de suspensão por atividade ilegal. O texto atribui à STM e a Saulo crimes contra o sistema financeiro, e por lesar milhares de pessoas com a promessa de ganhos ilusórios.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
Mais lidas
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados